Ronda Rousey: A Rainha do Rio de Janeiro

Não foi nem a primeira e nem a última passagem da campeã do UFC, Ronda Rousey pelo Brasil, mas com certeza foi a mais marcante, conquistando uma legião de fãs por onde passou no Rio de Janeiro. Ela foi para praia, conheceu o Maracanã, o Cristo redentor, deixou seu cinturão que foi prometido ao torcedor brasileiro para o Instituo Reação ao lado do ex-judoca Flávio Canto. Praticamente tornou-se uma carioca da gema. A americana chegou na cidade maravilhosa sem alarde para evitar o assédio massivo da imprensa local. Rowdy pediu para defender o seu cinturão no país da sua adversária, mas quem iria arriscar que a torcida brasileira tão emotiva iria ficar ao seu lado?

Nos treinos abertos, a histeria tomou conta assim que Ronda iniciou seu alongamento. Última atleta a subir ao tatame, a rainha da divisão até 61kg arrancava gritos a cada movimento que fazia. Depois de um longo treino, Ronda decidiu correr para os braços do público, e deu abraços, autografou itens e tirou fotos com todos os que pediram um pouco de sua atenção. O sorriso da campeã era de uma cumplicidade jamais vista em uma edição do UFC no Brasil.

E na tão aguardada pesagem entre Ronda e Bethe Correia? Para que lado a torcida iria ficar? Sim houve o tradicional “Uh, Vai Morrer”, mas para a brasileira, alguns atletas do país chegaram a criticar a torcida presente, que não escondeu a ansiedade assim que a campeã subiu ao palco, com um sorriso largo no rosto e agradecendo a todos, Ronda prometeu a melhor luta feminina vista no UFC.

A americana e seu carisma conquistou de vez a tão exigente torcida brasileira

A americana e seu carisma conquistou de vez a tão exigente torcida brasileira

Luzes apagadas para a principal luta do UFC 190 no HSBC Arena, existe alguém que resista a entrada de Ronda Rousey com o clássico punk de Joan Jett (Bad Reputation)? Uma parte da torcida estava contra ela, mas a outra não escondeu a felicidade de ver a campeã caminhar rapidamente com a sua cara fechada, ao pisar no octógono foi ovacionada como uma lutadora local.

Bastaram 34 segundos com transmissão em rede nacional para Ronda torna-se assunto nacional e dominar os principais sites de notícias do Brasil, mesmo em um país tão machista em relação a mulheres competindo em alto nível, ela foi tema do final de semana nas redes sociais, nas mesas de bares, do público leigo até o mais antigo fã do MMA.

Se o campeão peso pena do UFC, José Aldo é chamado pelos torcedores de Rei do Rio, porque não apelidar Ronda Rousey de Rainha do Rio de Janeiro?

“Ai meu Deus. Um pedaço do meu coração sempre estará aqui. Sempre será um dos meus lugares favoritos do mundo. Sempre que eu tiver uma desculpa para voltar, eu virei para cá. Eu realmente achei que meu coração ia explodir hoje. Estou tão grata pela forma como as pessoas me trataram. Eu espero fazer o que for possível para continuar merecendo isso, mas não sei se conseguirei. Porque isso é tão… Eu nem sei explicar, fico sem palavras, e eu não sou o tipo de pessoa que fica sem palavras (risos)”, disse Ronda durante o jogo entre Flamengo x Santos no Maracanã no dia 2 de agosto.

COMENTÁRIOS

comentários

Pedro Henrique
Respiro WMMA 26 horas por dia, só irei descansar quando as mulheres chegarem no mesmo nível dos homens!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA