Diretor do UFC no Brasil revela que dezenas de lutadoras recusaram lutar contra Cris Cyborg

Ontem aconteceu a primeira coletiva de imprensa do UFC 198, no Rio de Janeiro. Vários lutadores marcaram presença, inclusive a única brasileira do card, Cris Cyborg.

O diretor geral do UFC no Brasil, Giovani Decker falou da dificuldade em colocar uma luta feminina no card.

O problema não foram as lutadoras, já que muitas brasileiras chegaram a fazer campanha para lutar no evento do dia 14 de maio, mas sim uma adversária para Cyborg.

“Não pensamos que seria impossível ter Cyborg no UFC 198 porque sabíamos que alguém aceitaria a luta. Não posso mencionar nomes para proteger as lutadoras, mas muitas atletas declinaram. Muitos nomes, realmente. Posso dizer que foram dezenas de lutadoras.”

Questionado se a nova campeã peso galo do UFC, Miesha Tate teria recusado a luta, o diretor respondeu.

“Acho que essa luta pode acontecer um dia, mas não foi o caso agora. Ela não era uma possibilidade. Ela é a campeã atual e esta luta não faria sentido no momento”.

FOTO: Alexandre Loureiro/inovafoto

 

COMENTÁRIOS

comentários

Fabíola Nishi

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA